CASA NOVA:

https://www.facebook.com/pages/É-Sagrado-viver

22 de maio de 2011

(...) E não existe remédio mais poderoso para transformar os grandes em crianças que um brinquedo. (...)
(...) Eu fazia brinquedos com caixinhas de fósforo, carretéis vazios de linha, bambús, talos de aboboreira (com eles se fazem divertidos instrumentos musicais!), rolhas, dobraduras de papel. Você poderá até fazer um rebanho de carneiros usando batatas e palitos. Você achou tudo isso bobagem? Então, você se parece com a minha avó. Trate de se salvar.
Repita comigo a reza da Adélia: "Meu Deus, me dá cinco anos, me cura de ser grande…"


(Rubem Alves)

24 comentários:

  1. Tantas vezes Sam, tantas eu faço essa prece:


    "Meu Deus, me dá cinco anos, me cura de ser grande…"


    Sábia Adélia, amado Rubem,


    Todo dia era domingo, de tanta coisa que inventávamos,


    Dá uma saudade, sempre.


    Um beijo Sandra,

    Que seu domingo seja maravilhoso!

    ResponderExcluir
  2. Sam,
    Por norma a seriedade dos adultos apenas cimenta as amarras em que cada um se vai entrelaçando...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  3. Estou de mãos postas, sam rezando junto á vcs. Quem dera fosse aceita minha prece e num dia assim, com um céu assim brincar de pique entre as árvores da pracinha,andar de bicicleta no parque,jogar três marias na calçada de casa,pular corda no quintal...
    Cinco anos ou mais um pouco, tanto faz, desde que a beleza daqueles anos não me abandonassem jamais.
    Lindo domingo p/ ti, menina.
    Obrigada por teu carinho sempre presente.
    Adoro "te encontrar."
    Mil bjinhos,
    Calu

    ResponderExcluir
  4. "A gente se dá conta tarde de que a felicidade é fácil, não?" Crianças, sempre tenho vontade de voltar a ser. Feliz era a época em que a mais difícil decisão, era escolher o sabor de um sorvete né Saamzita? Beijão flor (:

    ResponderExcluir
  5. "Meu Deus, me dá cinco anos, me cura de ser grande…"
    coisa que eu mais peço viu? e quando grande eu estiver,que meu lado criança jamais morra,é onde vejo o mundo com cores mais bonitas :)
    Que Lindooooooo esse pensamento de Rubem!amei
    Beijo pra ti,Queridona*

    ResponderExcluir
  6. A reza da Adélia resulta. Resulta também a minha própria, que lhe explico nesta prosa:
    Agarrei meu neto, não por ser o predilecto mas por ser o que estava mais próximo. Fomos passear num terreiro. Apontei-lhe um pinheiro e desafiei-o a correr a ver que chegava lá primeiro. Foi ele. Ele a valer. Ficou tão prazenteiro que deu alegria ver. Depois, levantei-lhe uma pedra larga onde, por baixo, a vida fervilhava. Junto ao húmus da terra, eram formigas, bichos-de-conta, aranhiços, centopeias e minhocas. Ficámos os dois de cócoras, mexendo com um pauzinho, tanto bichinho... Se fizesse a reza de Adélia e tal reza resultasse, como poderia eu com cinco anos apenas desvendar ao meu Diogo os segredos que existem por debaixo de uma simples pedra? Que seria das crianças sem nós, adultos sabidos com sonhos incontidos?

    ResponderExcluir
  7. Na verdade as pessoas grandes não sabem de nada, e como diz um trecho do pequeno príncipe, é cansativo paras as crianças ter que ficar explicando tudo o tempo todo!

    Beijos (:

    ResponderExcluir
  8. Sam , parabéns pelo blog. Adoreei
    Da uma passadinha no meu e vê oq tu acha do post novo e se gostar seguee . um beijoo e Sucesso *-*

    http://amandanascto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Ahh que coisa mais linda essa postagem!
    Acho o que mais atordoa nós adultos é a capacidade fácil que a criança tem em ser feliz, brincar de viver, pintar o sete, ter capacidade de sonhar... devia ter um decreto em que todo mundo fosse obrigado a voltar a ser criança uma vez no mês hehehe

    Coloquei uma legenda na sua foto com seu link lá no álbum de fotos :-)
    Ah, e você nao imagina como pego no pé do rapaz pra cuidar desses dentes kkkk

    bom domingo queridona!!!!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom! Lembrei-me da minha infância, carregada de brinquedos e brincadeiras...legal! ( http://opequenoser.blogspot.com/ )

    ResponderExcluir
  11. olá, obrigado pelo comentário em meu blog. E quanto à foto, é antiga. Quase três anos atrás (rsrs)...Vou atualizá-la. Um beijo, Sam.

    ResponderExcluir
  12. Tomara fosse aceite a minha prece...
    BJs

    ResponderExcluir
  13. Às vezes dá vontade de voltar aos cinco anos. Era tudo tão mais fácil.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Quando os meus filhos eram pequenos a minha mulher dizia-me que me dava mais prazer a mim brincar com os brinquedos deles do que às próprias crianças ;)

    ResponderExcluir
  15. Ah como eu queria me curar de ser grande..
    Voltar a ver e sentir as coisas como quando tinha cinco anos..
    Era tudo tão mais simples. Qualquer latinha virava um instrumento musical, e não um empecilho como hj..
    Boa semana Sam..
    Um beijo

    ResponderExcluir
  16. Ser grande é ter uma responsabilidade tão grande. E saber lidar com grandes emoções, grandes brigas e grandes inimigos. Mas também é desfrutar de pequenos momentos, pequenos sentimentos; realizar pequenas ações que significam para nós grandes coisas!

    Beijos, Sandra linda.

    ResponderExcluir
  17. Garagens com caixas de remédios... Chapéus com tampinhas... Esculturas com pauzinhos...
    O que a gente inventava!!

    ResponderExcluir
  18. Olá Sam
    Seria bom se não perdêssemos a pureza e a alegria das crianças. A vida seria muito mais fácil.
    Bjux

    ResponderExcluir
  19. Olá

    Ohhhhh...quem me dera os meus 5 anos de volta!!!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Tempo bom minha amiga, teu texto fez-me retornar à minha infância no interior paulista. De família sem muitos recursos nossa diversão com outros amiguinhos era construir nossos próprios brinquedos, carrinhos de rolemã, patinetes, etc. Beijo minha cara, logo mais retornaremos.

    ResponderExcluir
  21. Sumiu a foto nao, ela fica no álbum, mas é uma pena que nao tenha um recurso para ir circulando as fotos tiradas... agora tem de uma mao lá... bom né amiga, antes mao que outros órgaos kkkkkkk

    Sam-zinha, vou te contar baixinho, mas eu também sou sedentária, é só mesmo a bici que me tira do lugar pra ir atrás do prejuízo, que se deixar, aqui o estrago é grande, faz frio muitos meses no ano, e cê sabe, no frio a gente come dobraaaado :-(

    Tira outras fotos que quiser tá!!

    Tenha bons sonhos, boa noite queridona.

    ResponderExcluir
  22. San,

    Eu era desse tempo que a gente fazia até carretéis de linha virar brinquedo.
    A gente brincava de jogar saquinho (com arroz dentro), amarelinha, tantas coisas sadias.
    Como eu fui felizzzzzzzz.
    Hoje, vejo récem nascidos já com celular, crianças no computador, celular, lap top, video game, etcs da modernidade.
    Eu acho que elas deviam eram ser crianças.
    Pisar na terra, subir em árvore para roubar frutas, tudo que eu vivi. Era mais saudável.

    Um beijooooo lindeza de menina!

    ResponderExcluir
  23. Todas essa bobagens um dia foram meus brinquedos também...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  24. Ah... que lindo!!

    Meu velocípede era um tronco de uma árvore.
    Eu pedalava como ninguém.

    Beijos.

    ResponderExcluir

"Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz."

(Exupéry)